sexta-feira, 27 de julho de 2012

Roda de Samba com Marquinhos de Oswaldo Cruz receberá Monarco e Dorina neste sábado no Parque de Madureira

Depois de uma temporada de sucesso no bairro da Lapa, no Centro do Rio de Janeiro, o cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz  levará a sua consagrada roda de samba neste sábado, 28 de julho, a partir das 16 horas, no recém inaugurado Parque de Madureira.
No evento, Marquinhos receberá os bambas Monarco e Dorina para uma grande festa aberta  ao publico e de graça. Um programão para este fim de semana na terceira maior área verde da cidade.
No repertorio grandes clássicos do samba como: Coração em Desalinho e Vai Vadiar (Monarco e Ratinho), Coração Leviano (Paulinho da Viola), Doce Melodia (Bubu da Portela e Jamelão), Vivo Isolado do Mundo (Zeca Pagodinho) e Tudo menos amor (Monarco), entre outros sucessos.
Criado em Oswaldo Cruz, Marquinhos teve a oportunidade de conhecer pessoas que foram marcantes na sua formação de sambista. Desde cedo, conviveu com Argemiro, Monarco, Alberto Lonato, Jair do Cavaquinho, Casquinha, Tia Doca e Manacéia. E a partir desses contatos, unifica seu trabalho musical com movimentos de valorização do bairro de Oswaldo Cruz, tais como o Acorda Oswaldo Cruz e a recriação do Pagode do Trem, realizado no dia 2 de dezembro, em comemoração ao Dia Nacional do Samba, sempre destacando a centralidade do bairro na história do samba.
O bairro de Oswaldo Cruz não tinha sua história cultural reconhecida por todos os cariocas na década de 80, quando Marquinhos liderava um grupo de músicos, que o acompanhavam, cantando e tocando dentro de trem,criando a maior festa de participação popular da cidade do Rio de Janeiro: o Pagode do Trem, conhecido como Trem do Samba. Atualmente, cerca de 70 mil pessoas, no dia dois de dezembro, embarcam nos trens que partem da Central do Brasil para cantar e dançar com Marquinhos de Oswaldo Cruz e seus convidados, em uma viagem até o bairro de Oswaldo Cruz, berço do samba carioca.
A carreira musical de Marquinhos de Oswaldo Cruz iniciou-se nas mais famosas rodas de samba dos subúrbios cariocas: no Pagode da Tia Doca, no Pagode de Argemiro da Portela, no Pagode do Serrão, no Pagode do Cacique de Ramos e no Pagode Centro Cultural Lima Barreto. Em 1997, com o movimento Samba de Raiz, Marquinhos lidera a roda de samba sob os Arcos da Lapa, onde um público maior tomou conhecimento desse samba. Em 1996, longe de ser o grande reduto boêmio, a Lapa vivia um profundo ostracismo com o fechamento do Circo Voador, que construiu um ar “pop” na região. Sim, era a Lapa de todas as tribos, exceto a tribo do samba. Perplexo com a declaração infeliz de um cantor que se aventurava pelo mundo do samba, de que já não existiam mais sambistas nos morros e nos subúrbios, Marquinhos de Oswaldo Cruz busca um espaço no centro ou na zona sul, para que esse outro lado da cidade pudesse conhecer o trabalho dos sambistas dos morros e dos subúrbios.


Marquinhos de Oswaldo Cruz (divulgação)

Serviço:
Roda de Samba com Marquinhos de Oswaldo Cruz recebe Monarco e Dorina
Data: 28 de Julho (sábado)
Horário: 16 horas
Parque de Madureira
Rua Soares Caldeira, 115 - Madureira - Rio de Janeiro
Entrada: Grátis- Aberto ao publico
Classificação: Livre