quinta-feira, 10 de maio de 2012

Gota: cerca de 140 milhões de pessoas podem ter a doença

Gota é uma doença caracterizada pela elevação de ácido úrico no sangue e surtos de artrite aguda. Em alguns países, o percentual de pessoas com nível de ácido úrico acima do normal (até 7,0 mg/100ml) chega a quase 20%.
Dr.Carmo de Freitas, reumatologista há 40 anos, explica que destes 20% nem todos desenvolverão a doença, mas que o diagnóstico de hiperiricemia é muito importante, pois muitas vezes os indivíduos que têm o nível de ácido úrico elevado têm também grandes chances de serem hipertensos, diabéticos e apresentarem aumento de gordura no sangue, além de cálculos renais.
“A descoberta da hiperuricemia faz com que indiretamente sejam diagnosticados os problemas sérios que já existiam”, ressalta o médico que é membro titular da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

A Crise

Pacientes gotosos podem permanecer de 20 a 30 anos com ácido úrico elevado antes da primeira crise de artrite, que é bastante típica: o indivíduo vai dormir bem e acorda de madrugada com uma dor insuportável que em mais de 50% das vezes compromete o dedo grande do pé. “Há situações de dor tão forte que os pacientes não toleram lençol sobre a região afetada. Pode haver febre baixa e calafrios”, explica Dr. Carmo.
Segundo o médico, não havendo tratamento, os espaços entre as crises diminuem e sua intensidade aumenta. Os surtos ficam mais prolongados e, mais tarde, comtendência a envolver mais de uma articulação, as quais podem ficar gravemente deformadas.
Para a Gota não há cura, porém o tratamento é garantido. “Alguns pacientes conseguem controlar o ácido úrico somente com dieta. Já a grande maioria tem que associá-la ao uso de algum medicamento”, conta Dr. Carmo.




Confira as dicas do reumatologista para prevenir o aumento de ácido úrico no corpo:

* Limite o seu consumo de   carne, feijão, grão-de-bico e frutos do mar com casca (camarões, lagostas, mariscos). Procure fazer uma dieta rica em frutas e lacticínios.
* Limite o seu consumo de álcool. Reduza a ingestão de refrigerantes e bebidas adoçadas. Beba     bastante líquido;  
* Controle o seu peso.  Pratique exercícios físicos.