segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Lançamento do cd do Grupo Vocal Dá o Tom neste fim de semana 3 e 4 de setembro no Teatro Gonzaquinh​a

O campo da arte reserva grandes alegrias pra quem faz parte dela. Uma delas é a amizade misturada ao valor de um trabalho. Foi assim que há 10 anos surgiu o grupo vocal Dá o Tom, que das aulas em uma escola de música foi alçado a uma esfera profissional pelo tempo de estrada, mas sem deixar a essência de lado. O grupo vocal apresenta seu rebento, o cd Dá o Tom, primeiro trabalho em que interpreta a MPB com uma assinatura própria e com muita maturidade. 
Formado atualmente por 16 membros (sopranos, contraltos, tenores e barítonos), é capitaneada por Dalton Coelho, idealizador e diretor musical do grupo, professor de canto e produtor do CD. “Tudo começou com um fim didático, em uma escola de música. E com o desenvolvimento musical de todos, foi automático formar um grupo para apresentações”, explica Dalton.
Conhecidos como um grupo que faz o chamado “Coro Cênico”(canto com movimentação cênica),  desenvolveram uma forma bem democrática de trabalho, onde cada um tem sua função. E isso vem de uma explicação simples: 13 cantores têm suas atividades formais de trabalho (executivos, empresário, professores, publicitário, secretária), o que fez cada membro saber sua função dentro do grupo, desde produção até a parte artística.
"Se a gente fosse mais profissional, não seríamos tão amigos”, diz a soprano e produtora Juliana Veronezi, que, com a frase sintetiza o clima do grupo. É comum vê-los juntos em bando (como gostam de dizer) brincando com a voz, seja no almoço depois do ensaio, na rua ou em algum evento público.


Dá o Tom (independente)



De um trabalho longo de apresentações, o cd veio ratificar tudo que já foi feito até então pelo o Tom. Com 10 músicas rearranjadas e muito apresentadas ao vivo em shows, o CD traz uma gama de referências da música brasileira. “A gente buscou na MPB tudo que gostamos e que caiu bem ao nosso estilo vocal e cênico”, conta Dalton , que também assina a preparação vocal e a regência.
O tom do cd não desafina: vai desde as referências musicais de Noel Rosa (Com Que Roupa) Caetano e Milton (Paula e Bebeto), Chico (Feijoada Completa, Baioque), Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira (Qui nem Jiló),Vinícius de Moraes (A Casa), Gonzaguinha (Tá na Cara) e Edu Lobo (Sobre Todas as Coisas), até os compositores contemporâneos como Carlinhos Brown (Segue o Seco) e Rodrigo Maranhão (Caminho das Águas).
Além do auxílio do baixista Didier Fernan, do cavaquinista André Moreno e do pianista Gabriel Geszti, o grupo contou com o carinho e as baquetas do percussionista Robertinho Silva em estúdio. O projeto gráfico ficou a cargo do tenor e publicitário Sandro Barretto, e retrata bem a vida no Rio de Janeiro: peladas de futebol, cantores, amor, pipas, prédios, esquinas musicais, dança e música.

Show de Lançamento do primeiro CD





O Show, além de ser o lançamento do primeiro cd da turma,é um apanhado de 10 anos de trabalho e vem com uma produção cuidadosamente alinhavada: cenário, figurino e cenografia. Serão 18 músicas em 90 minutos de vocais auxiliados pelo violão de Dalton Coelho e a percussão de Éber Freitas, onde o público assistirá a um vasto repertório, com as músicas do cd e ainda aquelas que fazem parte da história do Grupo, como “Canário do Reino” (Carvalho e Zapata), conhecida na voz de Tim Maia e que foi a primeira música executada cenicamente pelo Dá o Tom. O repertório inclui ainda “Bola de meia, bola de gude” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “Cadê Você” (Chico Buarque e João Donato),“Conversa de Botequim” (Noel Rosa e Vadico), “Lavadeira do Rio” (Lenine e Bráulio Tavarez), “Meu País” (Ivan Lins e Vitor Martins), “O sol nascerá”(Cartola e Elton Medeiros) e “Telegrama” (Zeca Baleiro). A direção cênica do espetáculo é de Joana Lebreiro.




Serviço:
Show de lançamentodo cd do Grupo Vocal Dá o Tom
Teatro Municipal Gonzaguinha (instalado dentro do Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian)
Rua Benedito Hipólito, 125 – Praça Onze (Estacionamento grátis)
Dia e hora: Dia 3 de setembro (sábado): às 19 horas /  Dia 4 de setembro (domingo): às 18 horas
Ingresso: R$30 (inteira), R$15 (meia), R$20 (antecipadoe com filipeta)
Informações: (21) 8851 4785
Capacidade: 180 pessoas
Classificação: Livre